Carrinho 0

10 problemas que todas as mães enfrentam com recém-nascidos

cuidados com bebê

Cuidar de um recém-nascido não é uma tarefa fácil, especialmente para as mães que cuidam do primeiro filho. Assim, é importante estar ciente dos problemas mais comuns que são enfrentados, possibilitando maior preparo e tranquilidade no cuidado com o pequeno. 

Confira 10 situações que ocorrem frequentemente e como enfrentá-las!

1. O bebê acorda durante a noite 

A maioria dos adultos, quando possuem uma rotina saudável do sono, dormem por diversas horas seguidas sem acordar. Um sono assim é algo muito desejado por muitos pais de recém-nascidos, pois o bebê acorda diversas vezes durante a noite, os impedindo de seguir adormecidos. Frente a esse problema, é importante entender que o bebê, assim como todos nós, possui ciclos de sono e pode acabar acordando nos períodos mais leves. 

É importante que estabeleça uma rotina de sono, pois isso ajuda a dormir melhor

Tenha horários específicos para amamentá-lo, trocar sua fralda, niná-lo e o pôr para dormir. Desse modo, as chances de o recém-nascido dormir com mais qualidade são maiores.

2. Cólicas constantes 

É comum que recém-nascidos apresentem diversos episódios de cólicas, as quais apavoram muitos pais que se sentem sem saber o que fazer. A primeira coisa a se compreender é que essas dores não vêm por um único motivo e que são normais, ocorrendo nos primeiros três ou quatro meses de vida. Assim, quando constatar que o bebê não está chorando de fome, frio ou precisando que a fralda seja trocada, provavelmente as cólicas estão o afligindo. Esquente um pano com ferro e coloque sobre a barriga do bebê, tomando cuidado para ter um outro tecido entre a pele e o pano quente, evitando queimaduras. Massagear também ajuda, assim como empurrar as pernas da criança em direção à barriga.

3. A queda do cordão umbilical

Problemas mães sofrem com bebêsEspecialmente quem acabou de ter o primeiro filho pode se preocupar muito com a questão do cordão umbilical. Não é preciso desespero, apenas cuidados de higiene. O cordão não possui nervos, sendo apenas tecido, pele e, portanto, não dói. Não é necessário temer machucar o bebê ao higienizá-lo. Essa limpeza deve ser feita em toda troca de fralda com uso de algodão e álcool 70%. Entre 7 e 21 dias de vida da criança o cordão cai sozinho e, se isso não ocorrer, deve-se buscar auxilio médico para avaliar. Avaliação médica também é precisa caso o local apresente vermelhidão ou inchaço, exceto estes aspectos não há razão para grande preocupação.

4. Expor ou não o bebê ao sol

Muitas mães mantém o bebê em casa nos primeiros dias, longe da exposição do sol. Ainda que se deva tomar cuidado com o horário no qual essa exposição é feita, ela é essencial. É através do denominado banho de sol que o bebê consegue ativar Vitamina D, a qual é absorvida pelo corpo através da amamentação.

5. As primeiras vacinas

Ainda que sejam extremamente necessárias, levar o bebê para tomar suas primeiras vacinas pode parecer um problema para os pais. Mesmo antes de deixar a maternidade o bebê já toma duas vacinas, contra hepatite e tuberculose. Ao longo dos dois anos seguintes várias outras constam na caderneta e, embora a dor e choro da criança possam dar sentimento de dó nos pais, é preciso entender que são indispensáveis. Atente-se ao que o enfermeiro pede, segurando o bebê com cuidado e atenção no momento da vacina.

6. O medo diante o cuidado com a moleira

Nos primeiros dias e meses de vida do recém-nascido a região da moleira, na cabeça do bebê, parece muito frágil. Assim, o cuidado com essa área pode se mostrar como um problema para os pais, mas não é necessário desespero. Ainda que o local seja realmente frágil, não é tanto quanto parece e vai se firmando com o passar do tempo, até que se fecha.

7. O modo correto de segurá-lo

Muita gente não sabe a forma segura de segurar o recém-nascido, o que pode ser problemático. Ainda no útero o bebê estava em um ambiente estável e é tarefa dos adultos fazê-lo sentir tão seguro quanto estava uma vez que nasça. 

Ao segurar a criança é muito importante prover a ela equilíbrio e segurança, especialmente nos primeiros meses de vida

A cabeça do recém-nascido deve sempre estar apoiada, evitando o quanto possível que penda para trás. Envolva-o, transmitindo sentimento de proteção e segurança.

8. As visitas recebidas

Os problemas enfrentados podem não estar diretamente ligados ao bebê. Tanto os pais quanto as visitas recebidas devem estar sempre saudáveis, lembrando-se também de lavar as mãos antes de encostar no recém-nascido. Especialmente no primeiro mês de vida o bebê ainda está frágil e é importante protegê-lo de possíveis vírus para os quais ainda não criou anticorpos.

9. A higiene do bebê

Dar banho, trocar fraldas e tudo da higiene do recém-nascido podem ser problemas se não há preparo. Atente-se ao primeiro banho no hospital, geralmente dado pela enfermeira. Neste caso, uma dica é sempre ter todo o necessário próximo a você e enrolar o bebê em uma toalha, lavando primeiro sua cabeça e em seguida o restante do corpo. É importante atentar-se a temperatura da água, devendo ser em torno de 36°C, quente, porém confortável à pele. No caso das fraldas, suas trocas ocorrem em média 8 vezes ao dia. 

Limpe o bebê sempre de frente para trás, o fazendo com movimentos suaves

Se possível, evite o uso de lenços umedecidos e dê preferência a algodão e água morna, diminuindo as chances de irritar a pele.

10. Cuidados com o ambiente

O recém-nascido acabou de sair do útero, local silencioso e que representava segurança e equilíbrio. Estar em um local barulhento, especialmente durante o período de amamentação e na hora de ir dormir, pode não ser interessante, pois estressa o bebê. Todo esse barulho pode causar choro constante, tornando-se outro problema. 

Procure manter o ambiente silencioso, dando preferência a sons suaves que tragam calma ao local

Se possível, coloque próximo ao bebê sons que imitem o que ocorria ainda no útero, pois isso auxilia a mantê-lo mais tranquilo. Se quiser, pode ainda recorrer à ajuda de algumas orações para ajudar a sua criança a dormir, para quando está doente ou com alguma dificuldade.

Foto: BellamiPhotography / Pixabay

Primeira publicação em 02/12/2019.

Veja outras dicas de maternidade do Blog da Baby Pima:



Postagem anterior Postagem seguinte


Deixe um comentário

Observe que os comentários precisam ser aprovados antes de serem publicados